English - Español - русский
 
 
Primordial Gnosis



BAIXAR
Versão ePub eBook para eReaders.
BAIXAR ePub

 

BAIXAR
Versão PDF pronta para ler e imprimir.
BAIXAR PDF
BAIXAR PDF

 

Livro

Direitos de autor e ISBN
Diagrama
1. A Gnose Primordial
2. A Matéria é má
3. O tempo é mau
4. O deus criador
5. A criação do mundo
6. A criação do homem
7. O Deus Incognoscível
8. Corpo, alma e Espírito
9. Três tipos de Homens
10. Satanás, opressor
11. Lúcifer, libertador
12. A Serpente da Salvação
13. Caín, o Imortal
14. Os planos do deus criador
15. Morte e reencarnação
16. Manvantaras e pralayas
17. A Grande Conspiração
18. Luz e escuridão
19. As lojas branca e negra
20. Rebeldia e oposição
21. A Iniciação Gnóstica
22. A libertação verdadeira do Espírito

Clique em cada capítulo para acessar o conteúdo.

 

14. OS PLANOS DO DEUS CRIADOR

Segundo os Gnósticos, o deus criador tem muitos planos, que unidos constituem seu Grande Plano: para isso, criou o universo e o homem. Para alcançar seus objetivos, está levando adiante um experimento evolucionário no qual participam o corpo, a alma e o Espírito do homem. Vai ensaiando, vai provando e se obtêm êxito estende o modelo a todo seu universo criado, caso contrário, anula este projeto e começa tudo de novo, como tantas vezes fez, para voltar a ensaiar outra coisa. E nunca conseguirá uma cópia perfeita do que imagina ser o Mundo Incognoscível, o que trata em vão imitar.

Sem dúvida, neste último experimento, obteve um ganho, ainda que imperfeito, que tem sua particular importância. Depois de milhões de anos, deu um passo notável na evolução de sua obra máxima: o homem. Depois de milhões de anos de estancamento evolutivo em que o hominídeo humano viveu como animal, nos últimos 30 mil anos, avançou mais que em toda sua história. Os Gnósticos responsabilizam esta mutação ou “criação”, este grande salto evolutivo, à utilização dos Espíritos de grande pureza, provenientes do mundo não-criado.

O deus criador modelou um corpo de barro e com seu sopro o dotou de um elemento anímico, a alma. A essa alma, a essa sopro do criador, foi preso um Espírito, o qual foi enganado e traído e assim encarcerado contra sua vontade, nesse engendro satânico de barro e aliento: o corpo e a alma do homem. É a energia divina do Espírito preso que impulsionou e impulsiona a evolução do animal-homem!

E, para que quer o criador que este ser evolua? Para se transformar paulatinamente nele. Para isso elaborou seus mandamentos. Ele quer que o homem se transforme nele, que se faça igual a ele, o criador. O corpo e a alma estariam muito felizes se isso acontecesse, porque, segundo o destino, são partes dele, mas não acontece assim com o Espírito. O Espírito tem outra origem. Enquanto o Espírito estiver encadeado está tudo bem, vai impulsionando a evolução. Mas, se um só Espírito se liberta, perturba-se todo o plano. Por isso é tão necessário que a tirania do demiurgo seja absoluta, que todo conhecimento que possa despertar o homem, fazendo-o recordar quem realmente é, seja proibido. Porque seria um conhecimento perigoso, tão perigoso que poderia fazer com que o plano do deus criador entrasse em turbulência momentânea. Segundo a Gnose, um só Espírito, não necessariamente muitos, um só Espírito que possa libertar-se, subtrairia a força de todo este sistema e ainda subtrairia a energia que o deus criador utiliza para seguir adiante com seus planos. Esse Espírito seria um salvador, um salvador do mundo e um salvador dos demais Espíritos. Propiciaria a liberação não somente dos demais homens, mas também de todo o universo, das incontáveis miríades de chispas divinas provenientes do mundo não-criado e eterno, que se encontram aprisionados aqui, nesta grande máquina cega, para fazê-la funcionar e evoluir.

Este sistema criado pelo demiurgo, não pode funcionar se não possuir estas partículas do mundo Espiritual escravizadas, aprisionadas aqui. Dizem os Gnósticos que se de todas essas partículas Espirituais, as que estão aprisionadas no ser humano são as mais importantes em categoria e em pureza Espiritual, o demiurgo criou e armou todo isto e o impulsiona a evoluir.

Para que evolua até ele, com o ser humano a frente de tal processo. Se o experimento com o homem fracassar, utilizaria outra de suas criaturas e voltaria a tentá-lo novamente.

Dizemos que o demiurgo deseja que os homens evoluam até transformarem-se nele, até serem iguais a ele. Para que cada alma, aliento dele, e cada corpo de barro possa regressar a ele, transformando-se nele. Este é o objetivo final que o demiurgo tem reservado para o homem.

Para tudo isso, lhe é fundamental que o Espírito “contribua” com sua energia, sem poder libertar-se jamais. Para tudo isso, o demiurgo necessita que os homens permaneçam semi-dormidos e confusos. Para que sigam aproximando-se às cegas a Ele, até o criador, que com enganos e castigos os atrai para si. Para que todo este esquema funcione, é necessário que os homens continuem crendo que o criador é o único deus que existe e que é um deus bom.

Afirmam os Gnósticos que se um homem chega a esse ponto evolutivo em que se funde com seu criador, nesse mesmo instante seu Espírito perde toda possibilidade de libertar-se enquanto durar o universo.

> Continue lendo o próximo capítulo: Morte e reencarnação

 
 


Gnose Primordial: A Religiao Proibida © 2014 by José María Herrou Aragón.